Its sad but true!

Ao fim de ano e meio, decidi fazer as malas e mudar-me para o Blogger. A razão pela qual decidi mudar, nada tem a ver com o meu lado Geek, se bem que podia perfeitamente ser essa a razão, mas por três simples razões, nomeadamente:

1 – Fazer comentários em blogs do Blogger é um filme! A sério! Há dias que escrevo 3 vezes o mesmo comentário e acabo por desistir, ora encrava quando ponho o link do meu blog, ou escolho wordpress e ele diz-me que tenho de fazer log in (apesar de eu ter o log in feito) ou então nem permitem fazer comentários (o que é má onda, mas pronto).

2 – Gerir os meus comentários. Não consigo gerir os comentários que deixo em blogs do Blogger, pura e simplesmente, não consigo. Já tentei várias estratégias e nenhuma funciona de forma eficiente.

3 – A gota de água foi mesmo quando me apercebi que se eu quisesse mudar a cor da letra do título dos posts teria de comprar o pack de Custom Design. A única forma que, ontem, encontrei para ter os títulos a preto foi mesmo escolher um tema com títulos a preto.

Acredito que o WordPress seja excelente para quem percebe alguma coisa de código (o que não é o meu caso) ou para quem faz do blog o seu trabalho (o que também não é o meu caso).

O Pi é um pequeno hobbie, que me ajuda a manter a mente sã, não é suposto ser uma fonte de custos, nem é suposto exigir truques e paciência de chinês para fazer as coisas mais simples, como mudar a cor dos títulos dos posts. Assim sendo, a partir de hoje, podem encontrar-me aqui: http://pitwentyseven.blogspot.pt/

See you on the other side!

Ps: Para o caso de haver por aí alguém interessado em mudar do WordPress para o Blogger eu recomendo este site: http://google.about.com/od/googleblogger/a/How-To-Move-Your-Blog-From-Wordpress-To-Blogger.htm. Segui as instruções e, pelo menos até agora, parece-me que está tudo a correr bem, com excepção de uma ou outra fotografia.

Ps2: Cuidado para não publicarem rascunhos e para não publicarem em duplicado.

Carbonara

Pinned Image

Adoro pasta e, ao fim de algumas experiências, tornei-me fã desta receita. Se a memória não me falha, é um versão da receita da Nigella.

Ingredientes:
• 500 gr spaghetti
• 275 gr bacon
• Azeite q.b.
• 60 ml vinho branco
• 4 ovos médios
• 50 gr queijo parmesão ralado
• Pimento preta q.b.
• noz moscada q.b.

Instruções:
1. Colocar água com sal a ferver, para fazer a massa.
2. Cortar o bacon em cubos de 1 x 1.5 cm, sem a pele e colocar numa frigideira com um fio de azeite. Num tacho largo, onde caiba a massa, colocar o bacon em lume brando com um fio de azeite até começar a ficar dourado.
3. Após uns minutos juntar o vinho branco. Desligar o lume após uns minutos.
4. Numa tigela bater os ovos, com a pimenta e juntar o queijo ralado.
5. Cozinhar a massa até ficar al dente (uns 2 minutos antes do tempo indicado na embalagem), retirar do lume e juntar ao bacon. Mexer bem e deligar o lume.
6. Juntar a mistura dos ovos com o queijo e misturar bem.
7. Juntar um pouco de nós mocada.

Bom apetite!

Review: The Perks of Being a Wallflower

Na semana passada, acabei de ler o “The Perks of Being a Wallflower”, que é traduzido para português como “As Vantagens de Ser Invisível”. Esta semana, em vez de ver os Óscares, que continuam gravados á minha espera, estive a ver o filme, realizado pelo próprio autor do livro, Stephen Chbosky.

O LIVRO:
O livro conta a história de Charlie, através das cartas que ele envia a um desconhecido. Charlie é um adolescente norte-americano, aspirante a escritor e com alguns problemas psicológicos, que está no primeiro ano do liceu. O livro tem de tudo um pouco, drogas, sexo, violência, homossexualidade, enfim, não falta nada.
Eu esperava mais do livro, já estava na minha lista há algum tempo e não fiquei a amar o livro ou a história. Creio que aquilo que tem de bom, o tocar em todos os dramas possíveis na vida de um adolescente, também é aquilo que tem de mau, toca em demasiadas temáticas sem se dedicar a nenhuma. O melhor do livro são as referências literárias, feitas através do professor de inglês de Chrlie que lhe dá inúmeros livros para ler durante o ano.

A Wikipedia apresenta a lista completa dos livros, filmes e músicas que são referidos ao longo do livro. Gostei particularmente da lista de livros.
- To Kill a Mockingbird by Harper Lee
- This Side of Paradise by F. Scott Fitzgerald
- A Separate Peace by John Knowles
- Peter Pan by J. M. Barrie
- The Great Gatsby by F. Scott Fitzgerald
- The Catcher in the Rye by J. D. Salinger
- On the Road by Jack Kerouac
- Naked Lunch by William S. Burroughs
- Walden by Henry David Thoreau
- Hamlet by William Shakespeare
- The Stranger by Albert Camus
- The Fountainhead by Ayn Rand.

Sinopse by Wook: Charlie is a freshman. And while he’s not the biggest geek in the school, he is by no means popular. Shy, introspective, intelligent beyond his years yet socially awkward, he is a wallflower, caught between trying to live his life and trying to run from it.
Charlie is attempting to navigate his way through uncharted territory: the world of first dates and mix-tapes, family dramas and new friends; the world of sex, drugs, and The Rocky Horror Picture Show, when all one requires is that perfect song on that perfect drive to feel infinite. But Charlie can’t stay on the sideline forever. Standing on the fringes of life offers a unique perspective.
But there comes a time to see what it looks like from the dance floor. The Perks of Being a Wallflower is a deeply affecting coming-of-age story that will spirit you back to those wild and poignant roller-coaster days known as growing up.

O FILME:
O autor reestruturou todo o livro, consigo imaginá-lo a desmontar o livro em momentos e a montá-lo, como um puzzle, mas de forma completamente diferente. Não sendo a adaptação mais fiel do mundo, foi uma boa adaptação que não desvirtuou o livro. Por um lado, acabei por gostar mais da versão do filme que do livro, por outro lado, se não tivesse lido o livro não tinha achado grande piada ao filme.

Conclusão: Não recomendo nem um nem outro, o melhor dos dois é a lista de livros e umas quantas frases/passagens do livro. As minhas preferidas:
“we accept the love we think we deserve.”
“And in that moment, I swear we were infinite.”
“I am very interested and fascinated how everyone loves each other, but no one really likes each other.”
“Things change. And friends leave. Life doesn’t stop for anybody.”
“I am both happy and sad at the same time, and I’m still trying to figure out how that could be.”
“… Try to be a filter, not a sponge.”

Isto por aqui anda assim

Por incrível que pareça, e com muita pena minha, ainda não vi 30 segundos dos Óscares. Por um lado, o trabalho tem me obrigado a chegar a casa a horas para lá de vergonhosas, por outro lado, há dois dias que não temos luz.
Agora vem a parte que é tão cómica como triste, a pare em que eu vou explicar porque é que não tenho luz. Bom, é muito simples, sempre que eu digo a alguém que sou esquecida e distraída, oiço sempre um eu também, fico sempre a pensar que, essas pessoas, não sabem bem o que estão a dizer. Isto tudo para explicar que estou sem luz porque me esqueci de pagar a conta e a EDP é mais rápida a cortar que a repor. E é isto a minha vida.

And the winner is…

BEST PICTURE
Amour
Argo – WINNER
Beasts of the Southern Wild
Django Unchained
Les Miserables
Life of Pi
Lincoln
Silver Linings Playbook
Zero Dark Thirty

BEST ACTOR
Bradley Cooper, Silver Linings Playbook
Daniel Day-Lewis, Lincoln – WINNER
Hugh Jackman, Les Miserables
Joaquin Phoenix, The Master
Denzel Washington, Flight

BEST ACTRESS
Jessica Chastain, Zero Dark Thirty
Jennifer Lawrence, Silver Linings Playbook – WINNER
Emmanuelle Riva, Amour
Naomi Watts, The Impossible
Quvenzhané Wallis, Beasts of the Southern Wild

BEST SUPPORTING ACTOR
Alan Arkin, Argo
Robert De Niro, Silver Linings Playbook
Philip Seymour Hoffman, The Master
Tommy Lee Jones, Lincoln
Christoph Waltz, Django Unchained – WINNER

BEST SUPPORTING ACTRESS
Amy Adams, The Master
Sally Field, Lincoln
Anne Hathaway, Les Miserables – WINNER
Helen Hunt, The Sessions
Jacki Weaver, Silver Linings Playbook

BEST DIRECTOR
Michael Haneke, Amour
Ang Lee, Life of Pi – WINNER
David O. Russell, Silver Linings Playbook
Steven Spielberg, Lincoln
Benh Zeitlin, Beasts of the Southern Wild

BEST ORIGINAL SCREENPLAY
Wes Anderson and Roman Coppola, Moonrise Kingdom
Mark Boal, Zero Dark Thirty
John Gatins, Flight
Michael Haneke, Amour
Quentin Tarantino, Django Unchained – WINNER

BEST ADAPTED SCREENPLAY
Lucy Alibar and Benh Zeitlin, Beasts of the Southern Wild
Tony Kushner, Lincoln
David Magee, Life of Pi
David O. Russell, Silver Linings Playbook
Chris Terrio, Argo – WINNER

BEST ANIMATED FEATURE FILM
Brave – WINNER
Frankenweenie
ParaNorman
The Pirates! Band of Misfits
Wreck-It Ralph

BEST FOREIGN FILM
Amour, Austria – WINNER
Kon-Tiki, Norway
No, Chile
A Royal Affair, Denmark
War Witch, Canada

BEST ORIGINAL SONG
“Before My Time” from Chasing Ice, Music and Lyric by J. Ralph
“Everybody Needs A Best Friend” from Ted, Music by Walter Murphy; Lyric by Seth MacFarlane
“Pi’s Lullaby” from Life of Pi, Music by Mychael Danna; Lyric by Bombay Jayashri
“Skyfall” from Skyfall, Music and Lyric by Adele Adkins and Paul Epworth – WINNER
“Suddenly” from Les Misérables, Music by Claude-Michel Schönberg; Lyric by Herbert Kretzmer and Alain Boublil

BEST ANIMATED SHORT FILM
Adam and Dog, Minkyu Lee
Fresh Guacamole, PES
Head over Heels, Timothy Reckart and Fodhla Cronin O’Reilly
Maggie Simpson in The Longest Daycare, David Silverman
Paperman, John Kahrs – WINNER

I did it!

Este ano, finalmente, consegui ver todos os nomeados ao Oscar de melhor filme, antes dos ditos Óscares. Claro que só foi possível porque, na ultima semana, aproveitei todos os bocadinhos para os ver.
O meu preferido foi mesmo o Silver Linnings, que está longe de ser um favorito, but who cares?
Em conversa com uma amiga, apercebi-me que muitas vezes os melhores filmes não são os nomeados para melhor filme, mas os nomeados pelas interpretações. Por isso, para o ano vou inovar…

Desabafo…

Nos últimos tempos os dias têm sido vividos a 1.000 à hora, entre trabalho e jantares e aniversários.

O pior de tudo é mesmo a vontade de mudar de vida, de optar por uma vida mais calma, com tempo para aquilo que de facto nos dá prazer, com tempo para estar com quem gostamos e com tempo para aproveitar cada dia.