Nunca me Deixes

A seguir ao livro veio o filme…

Em Março de 2011, foi lançado em Portugal o filme baseado no livro “Nunca me deixes”, com o mesmo nome. Como acontece a (quase) todos os filmes baseados em livros, o filme ficou aquém das minhas expectativas.

Eu sei que o tempo de duração de um filme é limitado o que obriga ao argumentista a fazer escolhas, cortar alguns episódios e, eventualmente, adaptar outros para melhor espelharem a realidade do livro. Talvez por isso, eu fique sempre com a sensação que as personagens são mal desenvolvidas, as relações entre as personagens parecem que surgem do nada e episódios importantes perdem-se na história.

Neste caso em particular, uma vez que foi acabar de ler o livro e ver logo de seguida o filme, fiquei ainda mais incomodada do que é habitual com as liberdades do argumentista e com a falta de fundamentação para algumas personagens e relações. O filme peca por não ter explorado devidamente a relação dos três enquanto crianças e peca por não ter conseguido transparecer a amizade que unia a Ruth e a Kathy.

Talvez por ter visto o trailer do filme antes de ler o livro, as personagens, as paisagens, locais e etc…. encaixaram na perfeição na imagem que criei enquanto lia o livro.

É verdade que não gostei tanto do filme como gostei do livro, mas vale a pena ver o filme. A Carey Mulligan é uma das novas princesas de Hollywood e uma das minha actrizes preferidas da nova geração. A interpretação dela quer neste filme quer no Drive são excelentes, mal posso esperar por a ver na próxima adaptação do “The Great Gatsby”.

Anúncios

5 thoughts on “Nunca me Deixes

  1. não conhecia o livro, nem o filme… vou tentar ver os dois, fiquei curiosa.
    Os filmes raramente seguem à risca o livro, especialmente se o realizador for americano.
    O mesmo não acontece com os ingleses, estes são mais fieis.

    • Nunca me tinha apercebido dessa diferença entre os realizadores ingleses e americanos. Achei curioso.
      Gostei mesmo muito do livro, acho que vale muito a pena ler. Fico à espera de saber a tua opinião.

      • Há um bom exemplo, orgulho e preconceito. O filme que saiu em 2005 com a Keira Knightley é uma porcaria comparativamente com a série da BBC de 1995 com o Colin Firth. Eu li o livro e parecia que estava a ver a série a decorrer à minha frente.

      • O Orgulho e Preconceito é um dos meus livros preferidos. Tens toda a razão a série da BBC está extraordinária, o Mr. Darcy vai, para sempre, ter a imagem do Colin Firth. bjs

  2. Já vi o filme, como não li o livro não posso comparar mas que a relação delas durante a infância precisava de uma maior atenção merecia. Parece uma ligação muito superficial para explicar aquela ligação e “inveja” em idade adulta. Mas gostei do filme.
    bjs

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s